quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Isto é um absurdo, Tchaikovsky



Podia ser uma daquelas músicas de anúncios que agora competem ao contrário, para aferir qual a pior, desde que a do Pingo Doce ficou famosa pelos piores motivos. Todos sabemos como é: aquela pasta viscosa agarra-se aos nossos tímpanos com a teimosia do bedum de casca de banana esquecida no cesto do lixo de autocarros públicos, e depois é o bom e o bonito para nos livrarmos daquilo. Não. Tive melhor sorte. Nos últimos dias não me tem saído da cabeça o tema central do Lago dos Cisnes, indiscutivelmente o mais espectacular dos bailados que conheço, na medida em que é o único, e hoje vi-me obrigado a ouvir isto vezes sem conta numa roda viva para lá de doentia que me recordou a nossa insignificância perante alguém (Tchaikovsky) capaz de inventar algo assim, absurdo de tão belo, capaz de deixar gerações de três séculos diferentes (1876: XIX, XX e XXI) em pele de galinha.

A Orquestra Filarmónica de Israel concordará.
Os meus vizinhos também, que remédio.

3 comentários:

Cat disse...

Na minha casa nunca se ouviu música clássica, mas eu de pequena sempre achei que o bailado era a melhor coisa do mundo. O Lago dos Cisnes é muito bom, mas... o Quebra Nozes foi o meu primeiro amor. E a Bela Adormecida é qualquer coisa de extraordinário. Vai ver, explora, que a nossa a CNB não fica nada atrás dos russos. Vale a pena ;)

Rui Coelho disse...

Não tenho muita paciência para o tipo de espéctaculo em termos cénicos, sou um bocadinho primata nas artes performativas, confesso - tanto que só conheço este bailado - mas acho a música avassaladora.

Na minha casa ouve-se alguma música clássica, devo assustar muito boa gente muahahaha

Aidan disse...

Concordo. Eu cá assusto quem vem ao meu PC, e ouve dos meus phones a Antena2. 'Do best', diga-se :)