segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Passarinheiro

Um dos truques para ter boas noites de sono é evitar passar os olhos pela casa da Fanny, Cátia e companhia. Aprendi isso ontem da pior forma, num serão em família. É que nem preguei olho depois de ver aquilo pela primeira vez. Quero ver quem me tira da cabeça que foi o heil bigode do pai da Fanny a deixar-me naquele desassossego. Não me venham dizer que foram os golos que o lobo falhou em Coimbra, tantos que dava para aviar todos os nossos adversários até Abril. Também não me convencem que a falta de sono se deveu ao excesso de copos da véspera, uma confusão que me levou a estilhaçar um prato no chão da cozinha tão tarde que já era cedo – (o teu sonho de criança é dar os bons dias ao teu pai enquanto recolhes cacos de loiça, balbuciando em vão). Tão pouco teve a ver com  a terapeuta de vidas passadas que conheci nessa noite, uma matulona que me chamou só com os olhos. Naa. Foi mesmo ouvir atentamente a Cátia, ficar fascinado com um novo mundo no qual um grupo de aves é um passarinheiro.

5 comentários:

Catarina disse...

Passarinheiro? Qual terá sido o cruzamento de palavras? Mealheiro com pássaro?
Haja imaginação para tanta ignorância...
Beijo*

Cat disse...

Olha que a matulona é coisa pra tirar o sono a qualquer um ;)

Pink Poison disse...

Então perdeste a Fanny a dizer que um grupo de peixes
e: escamas...

Utena disse...

Vim aqui por sugestão de uma moça cor de rosa... e depois de ler esta do passarinheiro só cá posso ficar =)

Rui Coelho disse...

catarina: isso ou pássaro com o masculino de farinheira.

cat: és muito espeeerta;

pink: thank god!

utena: óptimo, bem vinda ao labirinto escocês. Temos bolachas