terça-feira, 12 de outubro de 2010

... pero que las hay, las hay!


Se estiver a tirar formação pela empresa durante o horário laboral, sem porém o cobrir na totalidade, se isso implicar que tenha de sair de Lisboa a partir das 18:30 rumo a Carnaxide sobre quatro rodas, se chegar ao trabalho uma hora depois, pára-arranca, pára-arranca, pára-arranca, inferno, inferno, inferno e tiver pela frente duas horas e meia para esfolar os dedos no teclado, ou o teclado com os dedos, se souber disso e optar por trabalhar quatro horas, regressando a casa ao bater da meia noite, se, na procura de estacionamento, ignorar um lugar relativamente longe da minha rua e cinco segundos depois investir numa marcha-atrás suicida porque mudei de ideias, se fizer isso e estacionar o carro na dita vaga e demorar-me a meter os espelhos para dentro e regressar vagarosamente e reparar que ao longe se detém um carro num cruzamento com duas miúdas sorridentes lá dentro, se me aproximar e, espanto, constatar que ao volante vem ela, ladeada pela melhor amiga, se isto acontecer no exacto cruzamento onde há cerca de um ano pensei tê-la visto, também ao volante, também de quatro piscas ligados, mas no sentido inverso do trânsito, coisa que entretanto me negou sem contudo me ter convencido, se caminhar rumo àquele preciso cruzamento, naquela precisa hora, sem ter sequer jantado, e se depois me perder no tempo e em tudo o que a distância esconde e é preciso descobrir, se isto não abalar estruturas, que raio o fará?

6 comentários:

Martini Bianco disse...

Viste um fantasma e ainda não tens consciência disso...

Rui Coelho disse...

bem real, pá.

Ricardo Saleiro disse...

xiiii, mais um blog onde se vêm os vídeos do youtube por inteiro...

Rui Coelho disse...

aqui o analfabeto percebe é nada do que queres dizer com isso mas tase bem isto foi só mudar de casaco, chile 4ever!

saleiro disse...

"vêm" foi bom.sorry

Hugo disse...

Mas afinal comeste a gaja ou não?!