quinta-feira, 5 de março de 2009

É sempre de ouvir em repeat #14

Tema: Swing
Músico: Django Reinhardt
Disco: Jazz in Paris
Gravação: 1939



Disgusting things are going on, disguised as 'entertainment'. We have no sympathy for fools who want to transplant jungle music to Germany. In Stettin, like other cities, one can see people dancing as though they suffer from stomach pains. They call it 'swing'. This is no joke. I am overcome with anger. These people are mentally retarded. Only niggers in some jungle would stomp like that. Germans have no nigger in them. The pandemonium of swing fever must be stopped… Impresarios who present swing dancing should be put out of business. Swing orchestras that play hot, scream on their instruments, stand up to solo and other cheap devices are going to disappear. Nigger music must disappear. Do amoroso senhor ‘Buschman’, nome com que se intitulou o autor deste amoroso artigo, publicado a 6 de Novembro de 1938 num amoroso jornal de Stettin, ontem Alemanha, hoje Polónia, se espera que não fosse exactamente um apreciador do belga Django Reinhardt, um dos mais aclamados guitarristas de jazz de sempre, que exibia um bigode minhoca e era pouco ariano, no sentido em que nascera cigano. Raciocino, talvez com prudência: Se o swing possuía de raiva o senhor ‘Buschman’, talvez este, por força da sorte, pudesse ter caído nas boas graças do senhor Goebbels, que durante a II Guerra baniu o jazz, empacotando-o como “americano nigger kike jungle music” - “um ruído irritante, politicamente inaudível”. Tendo sido o senhor Goebbels ministro da propaganda do senhor Adolfo no III Reich, não será despropositado pensar que os dois, juntamente com o senhor 'Buschman' - homem Bush, em inglês -, se poderiam entender muito bem nas mais descontraídas horas de lazer, e que a nenhum eu convidaria para a consoada lá de casa, que eu e o meio tio procuramos transformar numa festa de pessoas que dançam como se tivessem dores de estômago, mas, dá-se o caso, apresentam um ar menos enjoado do que se adivinharia.

2 comentários:

João disse...

A este tipo de jazz dá-se o nome de "jazz manouche" (fr) ou "gypsy jazz" (en). Dica: "Rosenberg Trio" :o)

Anónimo disse...

Aprendi muito