quarta-feira, 4 de março de 2009

O Vaticano está preocupado com os camionistas, alas


Conduzir um camião por essa estrada fora pode ser um acto profundamente solitário, mas os camionistas não estão sós: terão sempre o Vaticano.

Exausto, no fecho de um árduo dia de reflexão e pesquisa sobre o paradeiro de Deus, de quem se diz estar de férias, o secretário do Conselho Pontifício Para A Pastoral Dos Migrantes E Itinerantes Que Anualmente Congratula Através De Grandes Farras Ecuménicas Realizadas Nas Humildes Mas Acolhedoras Fronteiras Da Santa Sé Os Muito Devotos Peregrinos A Fátima Que Prudentemente Se Engasgam Nas Pragas Que Rogam Sempre Que Acordam Depois de Sonhar Com Joelheiras, Arcebispo Agostinho Marchetto, com dois tês, fez saber ao mundo que o Vaticano, nomeadamente o Papa Bento XVI, está atento às dificuldades da boa e fiel paróquia camionista, que chega a percorrer em 15 dias o eixo Fátima-Compostela-Roma-Fátima sem dormir, com um olho na estrada e outro na cruz pendurada ao espelho retrovisor, a dar, a dar, e que o acaso por vezes faz cair em cima de uma notável colecção de revistas J, religiosamente empilhadas da primeira à última edição no tablier do camião, de modo a fugir de sonhos, sobretudo dos que envolvam joelheiras.

“Aqueles que realizam viagens longas enfrentam um vasto leque de desafios e problemas que requerem uma aproximação pastoral diferente e específica. Esses problemas são essencialmente físicos, pessoais, morais, sociais, introspectivos, económicos, políticos, intestinais, culturais e espirituais. Essencialmente, só para sintetizar”, concretizou o prelado.

2 comentários:

Inês disse...

não gozes com a complexidade da arte de bem camionar! =P
o vaticano tem altas prioridades, como se vê...

Pedro Pascoal disse...

Simplesmente Delicioso Para Quem Não Percebe Nada De Camionistas Peregrinos E Nem Ousa Sequer Sair Do Sofá Para Fazer Exercício Fisico Nem Espiritual.